Tuim e Caio Prado lançam ‘Cantos’ no Dia da Diversidade Cultural

‘Cantos’, a nova música do duo Tuim com Caio Prado, transbordam ideias e sentimentos de diversidade e afeto. Diversidade é abraçar a todos sem poréns ou preconceitos, aceitar e viver na multiplicidade dos povos. Afeto é um sentimento que persiste mesmo na distância e no tempo, uma conexão quando pessoas demonstram carinho, respeito e zelo por outras.

Neste inédito feat, o indivíduo é exaltado pela capacidade de romper fronteiras para transformar, repovoar, recomeçar, conectar e amar. A canção, lançada pelo selo Toca Discos, se apresenta também como o novo hino da Aceleração Labsonica – Toca do Bandido, onde nasceu em um songcamp.

Ouça ‘Cantos’:

Tum e Caio Prado fazem músicas que exprimem convicções. Acreditam com paixão nos versos ‘romper as fronteiras/afrouxar os marcos para repovoar’, uma ideia que vai de encontro com a data celebrada no dia do lançamento, Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento.

Em um conflito, ‘Cantos’ mostra que é preciso entender o indivíduo como ser humano. Territorialidade é um conceito de guerra, para um dominar o outro, e assim o ser humano produziu diversas guerras, mas o momento é de pensar e produzir canções que tragam acolhimento, respeitar a cultura do outro pela sua própria realidade, enxergar o outro como a si mesmo, mais com alteridade do que empatia.

A sonoridade de ‘Cantos’ reverbera a essência do Tuim e Caio Prado. É o encontro da raiz, evocada pela percussão de afoxé do cantor, com a contemporaneidade da Nova MPB contornada por guitarras e baixo marcante do Tuim.

Tuim e Caio Prado

Tuim e Caio Prado: capa de Cantos

Diversidade e afeto

Caio fala mais sobre o conceito de diversidade presente em ‘Cantos’. “Tem a ver com educação, respeito ao outro, necessidade de respeitar e só assim vamos sair do poço e passar pela multiplicidade do povo brasileiro”.

O compositor exalta a poética e o lúdico de ‘Cantos’ para aludir uma realidade, principalmente a do Brasil, um tanto obscura. “Levantamos bandeiras e as baixamos, porque temos que unificar os atos, entender quais são nossas interseções para entender quem está do nosso lado e lutar contra o inimigo comum, que é uma ideologia de um governo, que não é do lado do povo”.

Encontros e reencontros

‘Cantos’ celebra o reencontro do Tuim com o Caio Prado. O feat rememora dezembro de 2019, no Rio de Janeiro, quando o duo – que é Paula Raia e Felipe Habib – esteve pela última vez ao vivo com banda completa em um palco, na mesma noite e local onde Caio se apresentou. A afeição daquele encontro jamais foi esquecida.

Carrega, ainda, uma elucidativa coincidência da simbiose entre Paula e Felipe, que tem tudo a ver com os versos desta canção. Cada qual em sua casa, em processos de composição individual, escreveram uma frase comum, cuja força da expressão – “tem gente de tudo que é canto” – a tornaria crucial para a construção de ‘Cantos’.

O ato de produzir sons musicais utilizando a voz, por meio de melodias e ritmos, nesta música do Tuim e Caio Prado, recai na urgência em permitir que o indivíduo se expresse como ele é, como ele quer, escancarar ao mundo o espaço – único – em que habita.

Ficha técnica

Composição: Tuim e Caio Prado
Produção: Felipe Rodarte – Toca do Bandido
Direção artística: Constança Scofield
Selo: Toca Discos

Quer conhecer mais o Cabana? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

%d blogueiros gostam disto: