Roberto Gava: com participação de Zezé Motta e outros 7 artistas, paulista lança o álbum “Bertolt Brecht”

Roberto Gava e Bertolt BrechtCom participações de Zezé Motta, Carlos Careqa, Skowa, Virginie Boutaud, Gereba Barreto, Nina Ximenes, Camila Costa e Ana Lee, Roberto Gava lançou nesta terça-feira (10) o álbum “Bertolt Brecht”.

Diferente das canções de cabaré de Kurt Weill, que se notabilizou por musicar Bertolt Brecht, as músicas de Roberto Gava sobre os poemas do dramaturgo nasceram com influências do Jazz do início do século XX, do tropicalismo, da música erudita, da música brasileira e do psicodelismo dos anos 60. 

Além de compor e interpretar as canções, Roberto Gava fez os arranjos, tocou diversos instrumentos, mixou e masterizou o álbum. 

“Tentei fazer um Bertolt Brecht tropical, com pitadas de Rock, Jazz, MPB e World Music, com toques teatrais e certa irreverência, querendo fazer jus à poesia do Brecht, que considero lírica, irônica, teatral, questionadora e revolucionária”. explica o cantor e multi-instrumentista paulista. 

Ouça “Bertolt Brecht” nas principais plataformas digitais: https://onerpm.link/750752022620 

Brecht e Gava

O projeto foi desenvolvido durante a pandemia de Covid-19 e todos os músicos gravaram de forma isolada, cada um do seu jeito, em suas casas em diversas partes do Brasil e do mundo. Gava explica que os convites para os artistas que participaram do disco foram pensados de acordo com as canções.

O Gereba cantou um rock nordestino; o Skowa, um Soul; a Zezé Motta, um tango com pegada teatral; o Carlos Careqa, uma canção mais irônica; a Camila Costa, um samba e um mambo; a Virginie, uma balada e uma canção mais contemporânea, que remete à Vanguarda Paulista; a Ana Lee, uma balada e um Jazz; a Nina, um Rock Sinfônico”, destaca Roberto Gava sobre as participações nesse novo trabalho.

Ouça “Eu não vou comandar”, com participação de Zezé Motta:  https://tinyurl.com/GavaeZezeMotta 

Roberto Gava diz ainda, ter sido bastante especial trabalhar com artistas que foram referência na sua formação artística. “Cada um deu um toque de si abrindo minha canção e a poesia do Brecht para outros horizontes”.

Ficha Técnica:

Roberto Gava – Violão, guitarra, baixo, bandolim, cavaquinho, teclado, percussão, arranjos, programações e voz / Fabiana Almeida – Violino / Fernanda Scioti – Viola / Cíntia Braga – Cello / Manuela Cardoso – Tuba / Carlão Viana – Trombone / Fábio Rocha – Trompete / Sérgio Menardi – Flautas, clarinete e sax / Mário Carvalho – Piano / Rogério Cardoso – Bateria / Sandra Braga e Leila Rosa – Backing Vocals / Violão e arranjo de “O grande tempo, desperdiçado” – Gereba Barreto / Mixado e Masterizado no Estúdio Azulão por Roberto Gava.

Roberto GavaRoberto Gava: Roberto Gava é um produtor musical, cantor, compositor e multi-instrumentista brasileiro. Roberto possui 4 álbuns lançados e é parceiro de nomes como Arnaldo Antunes, Cássio Gava, Neno Miranda, Mário Carvalho, Mário Montaut, Luiz Alberto Mendes, Itamar Vidal, Paulo Araújo e Ozias Stafuzza. Com influências do Jazz do início do século XX, da música erudita, do psicodelismo dos anos 60 e principalmente do Tropicalismo, Roberto ganhou o prêmio Rumos Itaú Cultural de 2012 numa homenagem a Rogério Duprat, criando uma obra baseada nas Seis Pequenas Peças para Violoncelo do maestro da Tropicália. Em 2019 participou do projeto Antinomies também selecionado no Rumos Itaú Cultural, cujo objetivo foi resgatar uma obra perdida do Duprat composta em 1962.

Quer conhecer mais? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

 

%d blogueiros gostam disto: