Rafael Escobar se entrega ao acaso em “Deixar Levar”

Rafael Escobar transforma o cotidiano em poesia na forma de canções intimistas e íntimas. Celebrando sua vivência musical ao longo dos últimos anos no cenário gaúcho, ele começa a apresentar suas canções autorais onde a MPB se mescla a elementos do jazz e da bossa. Atualmente radicado em Los Angeles – onde estuda música, produção e composição -, o artista faz do single “Deixar Levar” um convite a canções onde se expõe de forma vulnerável em busca de conexões e diálogos sobre questões pessoais e, ao mesmo tempo, universais.

Ouça “Deixa Levar”: https://bit.ly/REDeixaLevar

Escobar reflete sobre superar os obstáculos diante de seus objetivos e se permitir seguir os ventos do destino, descobrindo novos caminhos antes não imaginados. “Quando eu perceber que meus reflexos já se foram / Acabará a pressa de fazer caber?”, ele canta, abrindo a faixa. A composição é uma espécie de conselho do artista para si mesmo, pensando sobre a finitude da vida e tudo que o tempo trouxe e pode trazer. Originalmente intitulada “Reflexos”, “Deixar Levar” traz um mergulho intenso na busca do equilíbrio entre alma e corpo de alguém que ainda está no processo de descobrimento do seu papel no mundo perante todos os enfrentamentos necessários para se tornar aquilo que se almeja. 

“A intenção estética por trás dessa produção foi deixar o som contemporâneo e universal mas mantendo as raízes brasileiras, tendo como principais referências os trabalhos de Lumanzin, Rubel, Emicida e Luiza Lian. Depois de inúmeras músicas ouvidas, playlists criadas, conversas e trocas junto ao produtor e co-autor da canção Átila Viana, chegamos a um resultado que, pessoalmente, me deixou bastante satisfeito”, comemora Rafael. 

“Deixar Levar” vem para inaugurar oficialmente uma trajetória musical iniciada muitos anos antes. Rafael Escobar trabalhou em alguns projetos com o E12 Records (antigo Estúdio 12 Experiência Sonora), estúdio dos produtores Marcelo Fruet e Átila Viana (Dingo Bells, Apanhador Só, Chimarruts, Pública, Mulamba). Agora vivendo na Califórnia, Rafael começa a revelar suas canções autorais, com o objetivo de atuar como farol para aqueles que não conseguem ver a luz no fim do túnel independente do seu gênero, raça ou idade. Musicalmente, Rafael se inspira desde a abordagem política de Gilberto Gil à mescla tropical de bossa com jazz de Tom Jobim, passando ainda pelo uruguaio Jorge Drexler até a americana Billie Eilish.

Embora distante do Brasil atualmente, Rafael segue dialogando com a cena feita por e para brasileiros – daí a vontade de se aperfeiçoar e seguir os estudos de música.

“Tenho o privilégio de passar um tempo estudando no exterior para aprimorar minhas habilidades como artista independente. Estudando na mesma escola que o mestre Nelson Faria e Mateus Asato estudaram, estou no caminho de entender as várias perspectivas existentes sobre a música brasileira no atual cenário mundial. Na minha experiência, a música é um setor onde o brasileiro é muito respeitado, creio que isso esteja diretamente conectado aos importantes movimentos de Jobim, João Gilberto e vários outros gigantes. Estar aqui me ajuda a entender como nossa música já contribuiu e contribui para o mundo e, mais do que nunca, como posso, aos poucos, formar minha identidade artística afirmando com mais firmeza a minha brasilidade”, se orgulha.

Com um trabalho em sintonia com a atual cena brasileira, que busca novos caminhos e ressignifica a MPB, Rafael Escobar antecipa seu primeiro EP com o single “Deixar Levar”, já disponível para streaming.

Ficha técnica

Composição: Rafael Escobar e Átila Viana

– Produção musical: Átila Viana

– Intérprete: Rafael Escobar

– Backing Vocals: Valentina Reis e Átila Viana

– Instrumentação e Arranjo: Átila Viana e Rafael Escobar

– Mixagem: Átila Viana

– Masterização: Marcelo Fruet

– Capa (com e sem texto): Elis Cardoso

– Fotos Divulgação: Bernardo Rosito

Quer conhecer mais? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

%d blogueiros gostam disto: