Indie e grunge guiam álbum de estreia da Ordem dos Tolos

Pós-punk, indie e grunge. Foi com estes elementos que a banda Ordem dos Tolos construiu o seu álbum homônimo. O disco aborda desde a política ao âmbito sentimental, destacando as paixões enquanto retrata a sociedade contemporânea. O lançamento é uma realização do Governo do Estado de Pernambuco, através da Lei Aldir Blanc. 

Escute o álbum de estreia da Ordem dos Tolos via Spotify ou Deezer

A obra incluiu o single Falha Inevitável, a faixa-título Ordem dos Tolos e outras 10 canções. São elas: O Que Me Faz Bem, Nada Vai Melhorar, Bebidas Vermelhas, PE-300, Me Espere, Carmim, Você Ainda Teme a Solidão?, Ninguém Repara, Ponto Final e Enganador Profissional, sendo que esta última conta com a participação especial da cantora Paula Fernanda.

As sessões de gravação ocorreram no Studio Live Music, em Petrolândia (PE). A mixagem e a masterização ficaram a cargo de Marcio e Kakau Gomes. 

Para o baixista Anailton Gomes, a amizade e a contemporaneidade foram essenciais para o desenvolvimento do disco Ordem dos Tolos.

“Somos um grupo de amigos fortalecidos pela música. Isso nos fez criar essa banda. Sinto que o nosso trabalho retrata um pouco disso enquanto sintetiza as nossas vivências e sentimentos, trazendo um pouco dos nossos relacionamentos e somando-os à indignação juvenil frente o atual contexto político do Brasil”, frisou.

Em atividade desde meados de 2019, o grupo é formado por Paulo Duque (voz), Hélio Ramos (guitarra) e Arthur Ribeiro (bateria), além de Anailton Gomes.

Quer conhecer mais? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

%d blogueiros gostam disto: