Flávia Ellen lança o EP “Temporal”

Novo EP de Flávia Ellen teve produção de Richard Neves e Gudino Miranda, e conta com participação de Renato Enoch e do beatmaker Jaber.

Flávia Elle lança EP Temporal

Flávia Ellen lança EP “Temporal” | Crédito: JP Lima

Flávia Ellen é cantora, compositora e uma das idealizadoras do Festival Sonora, maior festival de compositoras do mundo, presente em 16 países e 74 cidades. Seu EP “Temporal” traz 4 canções, acompanhadas de visualizers. Ele conta com a participação do cantor Renato Enoch, na música de trabalho “Déja Vù”, e do beatmaker Jaber, em “Contra o Tempo”. O lançamento marca a transição de uma identidade artística e musical introspectiva para um trabalho mais tropical e dançante.

“O EP retrata um grande processo de mudança, que inclui também o amadurecimento enquanto mulher lésbica no mundo.  Ao mesmo tempo, ‘temporal’ significa também tempestade… A calma, uma característica muito forte e constante em mim, está presente. Mas isso não quer dizer que eu também não possa ser intensa e voraz”, diz a cantora. 

A música de destaque, “Déja Vù”, que conta com a participação de Renato Enoch, é uma bossa nova eletrônica que fecha o álbum. A parceria com a poeta Cinthia Barra traz a percepção sobre si mesmo em momentos de tristeza, mas com um olhar otimista para o renascimento. A música que abre o EP, “Contra o Tempo”, é uma balada pop leve que traz os beats de Jaber e fala da percepção de Flávia sobre uma mulher e o desejo do reencontro.  

Já o recheio do EP é pura tempestade, com canções intensas do mesmo tema: desejo. “Enigmática” é um blues desconstruído com elementos eletrônicos, e “Um Tanto Bom” é um pop bastante sensual, escrito em parceria com a cantora Luiza Oliveira.

“Um Tanto Bom” é uma canção produzida, mixada e masterizada por Gudino Miranda. Ela foi lançada como single dentro do projeto “12 Histórias”, da produtora O’Sete Arte (Diadema/SP), e conta com a participação de Erica Motta (guitarra), Rodrigo Simplicio (Piano), Victor Kutlak (Baixo) e Gustavo Godoy (Percussão)

As demais canções do EP foram produzidas por Richard Neves, que também gravou violão, teclado, guitarra, baixo synth e programações. A mixagem e a masterização ficou por conta de Rodrigo Lana.

Se no álbum “Desperta” (2019) Flávia Ellen trouxe influências da MPB, do pop e do blues, “Temporal” se mantém nessa linha com alguns “temperos” diferentes, como os beats. Já as letras falam sobre autoconhecimento e sobre o afeto e a relação entre mulheres, tema sempre tratado por Flávia Ellen, que faz coro com a luta pela visibilidade lésbica. A mineira conclui:

O EP é uma passagem… Já trouxe bastante minhas características “invernais” e os incômodos nos últimos trabalhos. Elas ainda aparecem no EP, mas já dou um passo rumo ao meu lado extrovertido e ousado. O novo trabalho que chegará no verão é o pontapé de um carnaval em mim”.

“Artivista” lésbica, Flávia Ellen se faz presente movimentos e eventos feministas e LGBTQIA+

Flávia Elle lança EP Temporal

Crédito: JP Lima

Sobre Flávia Ellen: cantora, compositora e uma das idealizadoras do Festival Sonora, maior festival de compositoras do mundo, presente em 16 países e 74 cidades. Ela é integrante e fundadora do Coletivo Mulheres Criando, vencedor do Prêmio Profissionais da Música 2018 na categoria Projeto Cultural Musical.

Flávia Ellen nasceu em Belo Horizonte, em 1989, e deu início à sua carreira autoral em 2009. Seu primeiro trabalho, um EP homônimo com 5 composições próprias, foi lançado em 2015 e elogiado por Sérgio Santos, Chico Amaral e Déa Trancoso, artistas mineiros com grande destaque na cena nacional. 

Indicada ao Prêmio Nova Canção (Canal Multishow, 2013), a cantautora participou do quadro Mulheres Que Brilham (Programa Raul Gil/SBT, 2014) e de importantes festivais e projetos de música.

Em 2017, Flávia lançou o axé “Filme de Amor” junto com a escritora Laura Conrado, uma música feita para o livro “Na Minha Onda”, lançado pela Globo Alt. Em 2019, lançou seu disco “Desperta”, com 10 composições autorais e nomes consagrados de todas as gerações da música mineira, junto com os clipes “Desperta”, “Flerte” e “No fio da navalha”.

Em 2020, junto com a compositora Paula Oliveira, lançou o single “Um Pouquinho de Sal”, uma versão feita por Paula para a canção Un Poquito de Sal, da argentina Cata Raybaud. Em 2021, a artista fez uma série de homenagens à cantora Marisa Monte e fechou o projeto com o lançamento de versão ao vivo de “Infinito Particular”.

Em 12 anos de carreira artística e uma trajetória sólida com diversos lançamentos autorais, Flávia Ellen tem uma atuação igualmente importante enquanto agitadora cultural em Belo Horizonte. 

Desde a fundação do Coletivo Mulheres Criando, em 2016, seu trabalho de “artivismo” cultural vem promovendo festivais, saraus e outras iniciativas para fomentar a cena musical da cidade, em especial as mulheres. 

Ela lançou, em 2016, o projeto audiovisual “Canta Comigo?” para enaltecer compositoras e mostrar o trabalho delas em pontos turísticos de BH. Idealizou em 2020 o Circuito Saraus das Estações e o Sarau Dengo, já preparando o lançamento de seu próprio bloco de carnaval.

Ciente do papel da cultura e da música na sociedade, a Flávia Ellen “artivista” lésbica se faz presente em movimentos e eventos feministas e LGBTQIA+, emprestando sua voz para iniciativas em prol dos direitos das minorias. 

Serviço:

“Temporal”

Lançamento do disco: dia 8 de outubro em todas as plataformas digitais.

Lançamento dos visualizers:  a partir de 9 de outubro, no canal do YouTube de Flávia Ellen

Pré-save: Flávia Ellen – Temporal (ffm.to)

Quer conhecer mais? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

%d blogueiros gostam disto: