Chico Alves e Toninho Geraes lançam “Aluayê”, disco de afro-samba

Nesta sexta, dia 27, nasceu “Aluayê”, disco da dupla de bambas Chico Alves e Toninho Geraes, inspirado nos clássicos afro-sambas de Baden Powell e Vinícius de Moraes, e todo gravado junto com o trio do maestro Jaime Alem.

Foto: Reprodução

O álbum, que é composto por 10 faixas, apresenta em suas canções um ritmo alegre e vozes harmoniosas. A sonoridade das canções, convida os seus ouvintes a comemorarem suas rodas de samba ao lado dos seus santos e orixás.

“A vida é a arte do encontro”, já dizia Vinicius de Moraes. E foi com esse axé do Poetinha e sob as bençãos dos Orixás que nasceu o álbum “ALUAYÊ – OS NOVOS AFRO-SAMBAS” (Mills Records), fruto da união dos compositores Chico Alves e Toninho Geraes com o Trio JANAJU, formado pelo maestro Jaime Alem e pelas cantoras Nair Cândia e Jurema de Cândia.

Inspirado no disco de Vinicius de Moraes e Baden Powell, lançado em 1966 e considerado um divisor de águas na história da Música Popular Brasileira, “ALUAYÊ – OS NOVOS AFRO-SAMBAS” chegou em todas as plataformas digitais no dia 27 de maio.

Capa de álbum: Aluayê

Capa de álbum: Aluayê – Foto: Reprodção

Compositor de sucessos nas rodas de samba Brasil afora, gravado por Beth Carvalho, Martinho da Vila e Zeca Pagodinho, o mineiro Toninho Geraes tem seis discos autorais lançados e, desde “Preceito” (2009), ensaiava mergulhar nas águas profundas dos Orixás.

Os novos afro-sambas, como “Benguelê”, “Mãe Rezadeira”, “Paixão é Maré”, “Rainha Ginga”, “Coisas da Minha Terra” e “Dor de Amor”, ganharam corpo e alma quando o mineiro cruzou versos e acordes com o capixaba Chico Alves, com dois álbuns lançados, parceiro de Moacyr Luz, Toninho Nascimento e Wilson das Neves.

Da sua relação com as entidades afrocentradas, Toninho Gerais, revela que os fez um pedido inspirativo:

“Pedi essas melodias aos Orixás, me conectando com as melodias lá de cima.”

Ao que completa Chico Alves:

“Ele me mandava as melodias assobiadas e eu caprichava nas letras.”

Essa viagem deslumbrante à linguagem dos afro-sambas, porém, carecia de uma sonoridade capaz de transportar o ouvinte ao universo habitado pelas nossas entidades musicais. Ao que Alves explica:

“Queríamos revisitar esse universo de Baden e Vinicius, mas não tínhamos ainda a pessoa certa para fazer isso junto conosco. Buscamos por aí até conhecer pessoalmente Jaime, Nair e Jurema, que trouxeram a estética que sonhávamos para o disco.”

Responsável pelos arranjos dos novos afro-sambas, Alem lembra que pegou o violão logo que recebeu o convite. “Disse a eles que não só estava dentro, mas que faríamos um disco histórico porque todas as músicas são maravilhosas“, prevê Jaime Alem, conhecido por ter sido maestro da banda de Maria Bethânia por quase três décadas.

A banda que acompanha Chico Alves e Toninho Geraes é formada por Jaime Alem (violões), Dirceu Leite (flauta e sax), Rômulo Gomes (contrabaixo), Felipe Tauil  e Robson Batata (percussões) e Vitor Vieira (bateria).

ALUAYÊ – OS NOVOS AFRO-SAMBAS é um convite de Chico Alves, Toninho Geraes e Trio JANAJU ao terreno do sagrado, do mistério e da devoção. Ogum Yê!

Acompanhe Chico Alves e Toninho Geraes

Spotify: Spotify – Aluayê, Os Novos Afro-Sambas – Toninho Geraes, Chico Alves

Apple Music: Apple Music – Aluayê, Os Novos Afro-Sambas – Toninho Geraes, Chico Alves

Deezer: Deezer – Aluayê, Os Novos Afro-Sambas – Toninho Geraes, Chico Alves

Youtube: YouTube Music- Aluayê, Os Novos Afro-Sambas 

Instagram: Chico Alves (@chicoalves1) 

Instagram: Toninho Geraes (@toninhogeraesoficial)

quer conhecer mais? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

%d blogueiros gostam disto: