Caimans: duo indie pop que faz barulho no exterior

Os irmãos gêmeos idênticos Peder e Luca são a alma e a mente do Caimans, duo de indie pop/rock de São Paulo, que cada vez mais ganha projeção internacional e vem com um monte de novidades. Em duas semanas, foram duas performances na gringa! Primeiro, como a única atração brasileira na incrível e importante feira Canadian Music Week 2021, no Canadá; recentemente foi na Ásia, em um festival online de Singapura!

O duo, de São Paulo, divulga o recém-lançado single What She Can’t Have e celebra a parceria com a experiente Brain Productions Booking para mais conquistas ainda este ano, no aguardo pela retomada do mercado de shows por aqui e mostrar seu som moderno e contagiante. Confira mais sobre Peder e Luca nesta entrevista exclusiva.

Caimans duo

Caimans duo


Quais elementos do no novo single What She Can’t Have evidenciam uma nova etapa na carreira da Caimans?

Fizemos um trabalho diferente nos vocais, tanto técnico quanto nos arranjos. Trabalhamos novos ornamentos e interpretações e ficamos bem felizes com o resultado. Além disso, testamos ter um vocalista principal nesse single, que foi o Luca, e o Peder fez todos os backing vocals, diferente de Orbit e Come and Go, que dividimos os vocais principais. Funcionou muito bem e gostamos bastante do que gravamos, e embora não seja algo que faremos sempre, é muito vantajoso poder variar as músicas dessa forma.

Além disso, What She Can’t Have é um pouco mais introspectiva que as músicas anteriores. É ainda nosso terceiro single. Temos muitos temas a explorar.

São dois irmãos, gêmeos, idênticos, mas um com cabelo curto e o do outro é comprido. O que compartilham de gostos e ideias musicais e o que divergem totalmente sobre este universo?

Somos realmente muito parecidos em quase tudo, mas são nos detalhes que percebemos as diferenças. No visual, por exemplo, como você mencionou. Ou nos esportes por exemplo. Ambos gostamos de esportes, mas o Peder assiste mais futebol e o Luca assiste mais tênis e futebol americano. Na música é igual.

Estudamos música juntos, nos formamos juntos em produção musical, gostamos de muitas bandas em comum, mas o Peder toca baixo e o Luca guitarra, o Peder viciou em Rush, reggae e metal enquanto o Luca viciou em Red Hot Chili Peppers, post hard-core e música pop.

Essas diferenças alimentam muito o nosso som. Temos o clássico com o moderno, o pop com o rock, o orgânico com o eletrônico, mas tudo se junta de uma forma extremamente natural e soa dessa forma.

A banda tem uma sonoridade que é nitidamente voltada ao mercado internacional. Vocês vislumbram a Caimans com mais furor lá fora do que no Brasil? Por que?

A gente escreve o que é natural para a gente, e acontece que isso acaba sendo mais aceito lá fora, como vimos recentemente quando tocamos em um festival de peso Canadense. No Brasil ainda não conseguimos algo tão significativo. 

Percebe-se cuidado na produção, para que cada detalhe apareça na música, está bem claro em What She Can’t Have. Muita ideia e elementos de uma canção, na Caimans, aparecem no processo de pós-produção?

Somos produtores também e co-produzimos todas as nossas músicas, então é natural que acabamos criando muitos elementos durante a composição e montagem dos guias e arranjos das músicas. Assim, apresentamos uma ideia mais completa de sonoridade para o YokiSys, nosso co-produtor, mas muita coisa aparece na pós também.

Em What She Can’t Have, por exemplo, YokiSys criou alguns synths e elementos percussivos na pós, que adoramos, então ele juntou com o resto da mix.

Recentemente estiveram na Canadian Music Week, com uma performance gravada. Um feito de peso pro currículo do duo! E já rolou alguma conversa para tocarem numa eventual edição presencial em 2022?

Rolou, sim. Na verdade, íamos tocar presencialmente em Toronto em 2020, mas não rolou por causa da pandemia. Tivemos a oportunidade de nos apresentar na edição virtual de 2021 e conversamos sobre a possibilidade de tocar presencialmente num futuro próximo também, como era o plano original, mas não confirmamos nada ainda.

E o outro single que já foi anunciado. Para quando será o lançamento e o que podem adiantar de ‘Back Tonight’?
Ela está praticamente pronta e deverá ser lançada uns dois meses depois de What She Can’t Have, mas sem uma data confirmada ainda. Quem conseguiu nos assistir no Canadian Music Week e no Alchemy Festival da Singapura, que tocamos recentemente, pôde ouvir Back Tonight antes de todo mundo.

E quem fuçar no nosso canal do YouTube talvez encontre uma prévia dela por lá também hehe. Fora isso, só podemos dizer que temos uma ideia bacana pra um clipe que tentaremos produzir sozinhos novamente e esperamos que funcione!

Acompanhe o trabalho do Caimans: https://www.instagram.com/caimans.band.

Quer conhecer mais o site? Visite a Cabana Da Música. Siga nosso conteúdo no Instagram e no Twitter.

%d blogueiros gostam disto: